Marketing Digital

6 Benefícios Chave que permitarão alavancar a sua estratégia de retargeting

2 Dez , 2016  

Já alguma vez se questionou sobre o que acontece com todas aquelas pessoas que visitam o seu website mas nunca lhe ligam ou enviam um email, ou nem sequer preenchem um pequeno formulário? E aquelas que abandonaram o carrinho de compras precisamente no momento que iam fazer o checkout? Para onde foram?

Existem muitas razões que levam as pessoas a não perderem tempo a executar o próximo passo com a sua empresa, quer ele seja o preenchimento de um pequeno formulário de inscrição, um download de um whitepapper ou mesmo o checkout de um produto.

As pessoas não convertem por várias razões, seja por estarem a fazer uma comparação de preços ou a navegar aleatoriamente. Seja qual for a razão, o que interessa é que elas saíram. Abandonaram o seu funil de vendas. A primeira impressão que causou é rapidamente esquecida assim que as pessoas prosseguem a sua vida. A tecnologia de retargeting dá-lhe a oportunidade dourada de causar uma segunda, terceira, quarta e mais impressões.

 

O que é o retargeting?

 

É bastante provável que todos aqueles que estão a ler esta publicação já tenham sido brindados com a tecnologia de retargeting.

Para aqueles não familiarizados com o termo, o retargeting é a prática de redirecionar clientes com publicidade online, baseada na sua atividade online anterior. Por exemplo, se você visitar o website de um empresa online, poderá notar que ao deixar o website e ao navegar na internet, um anúncio dessa empresa que acabou de visitar surgirá à posteriori, tentando redirecioná-lo para o website dela para (se tudo correr bem) preencher um pequeno formulário de inscrição, ou para “converter” num determinado micro momento.

A esta tecnologia é dado o nome de retargeting (behaviour targeting), que é um dos tipos mais populares de redireccionamento, com o objectivo de captar a atenção do chamado warm traffic (pessoas que já tiveram contacto com uma determina empresa).

 

Como é que esta tecnologia funciona?

 

how-retargeting-works1

 

 

Suponhamos que visita o website de uma empresa online, uma etiqueta de rastreamento, presente na(s) página(s) que visita, colocará um “cookie” no seu navegador. Esta etiqueta de rastreamento é inserida por empresas como a AdRoll, Google ou Facebook. Este cookie é um componente de um código JavaScript que reside na(s) página(s) que visitou e é desenhado para segui-lo pela web, mostrando-lhe anúncios de forma exponencial e em tempo real.

Quando você carrega uma página web que tem um espaço de publicidade à venda, a empresa de redireccionamento irá, em tempo real, licitar esse espaço de publicidade e mostrar o anúncio dessa mesma empresa online em causa e não o de outra empresa, caso tenha ganho a licitação. Tudo isto acontece num milissegundo.

Se você clicasse nesse anúncio e revisitasse a página, preenchendo uma pequena inscrição e submetendo-a, então o website da empresa em causa iria (ou deveria) inserir um “ pixel code” no seu navegador, para que não mais recebesse os seus anúncios, fechando então o ciclo.

 

Será o retargeting eficaz?

 

De acordo com a Digital Information World, a tecnologia de retargeting é um dos métodos mais viáveis para reentrar em contato com utilizadores e levá-los à conversão num produto ou serviço que anteriormente haviam rejeitado. Eis umas algumas estatísticas sobre esta tecnologia;

  • Os utilizadores que são alvo de retargeting têm uma tendência 70% mais elevada para a conversão;

 

  • Os anúncios display obtém uma taxa de cliques de 0.07%; os anúncios com base em retargeting têm uma taxa de cliques de 0.7%;

 

  • Os anúncios redirecionados têm um potencial para aumentar a exposição de pesquisas associadas a marcas em mais de 1,000%

 

 

  • 46% dos publicitários online acreditam que o retargeting é subutilizado

 

  • 49% das marcas principais têm hoje em dia definidos orçamentos específicos para o retargeting.

 

Convincente, não é? O redireccionamento, do ponto de vista histórico, tem sido utilizado e é altamente eficaz na venda de produtos com ciclos de vendas bastante curto (tipicamente B2C), como por exemplo sapatos, dispositivos eletrónicos, mobiliário e semelhantes.

Contudo, a prática está rapidamente a conquistar popularidade junto dos publicitários B2B, que oferecem serviços com ciclos de vendas muito mais longos.

Por exemplo, numa empresa que venda CRM´s ou ERP´s, (típicas empresas B2B), os ciclos de vendas são extensos pois antes de se selar a venda, os potenciais clientes necessitam pesquisar, analisar e avaliar a oferta existente no mercado, o que normalmente demora alguns meses dado os elevados montantes que estão envolvidos.

 

As pessoas que visitam o site de uma empresa B2B raramente avançam para a conversão logo na primeira visita. Da mesma forma, as pessoas responsáveis por tomarem decisões de compra relacionadas com nova tecnologia irão levar o seu tempo para pesquisarem opções e adquirirem conhecimento. Por conseguinte, a sua estratégia de retargeting será muito diferente e mais adaptada a aumentar e a manter a consciencialização para que, no momento da compra, você seja considerado a primeira opção.

Para este caso em particular, a sua estratégia deverá ter uma janela temporal de redireccionamento com uma frequência de impressões e uma temporização bastante diferentes daquelas que seriam necessárias se estivesse a vender, digamos, um aparelho electrónico ou um par de ténis. Por isso, qualquer estratégia de retargeting terá de ser sempre adaptada ao tipo de empresa e sector de atividade onde se insere.

 

6 Benefícios Chave que permitarão alavancar a sua estratégia de retargeting, seja numa empresa B2B ou B2C:

 

  1. Construir o reconhecimento/recordação da marca: Levando em consideração os ciclos de vendas mais extensos para serviços e produtos, o redireccionamento pode ser um excelente método para se manter à frente dos seus potenciais clientes, mantendo-os “quentes” enquanto vai aumentando a consciencialização da sua marca. Esta consciencialização irá também adicionar outros elementos às campanhas, quer online, quer offline. Esta abordagem ajuda a aumentar a confiança na sua marca, que é bastante essencial na tomada de decisões importantes.

 

  1. Segunda oportunidade para causar uma impressão:Tal como mencionado no início deste artigo, existem muitos motivos que levam as pessoas a não efetuar uma conversão (ou a abandonarem o seu site). Talvez ainda não estejam no ponto certo do ciclo de compras, quiçá distraíram-se com uma chamada telefónica ou com algo no escritório, ou talvez estejam só a ver, pelo que não estão preparadas para iniciar o processo de compra. Em qualquer dos casos, usar o retargeting é valioso.Outra razão para sair de um website poderá ter que ver com o fato de o visitante não ter permanecido tempo suficiente para tomar conhecimento de todos os excelentes recursos do seu produto ou serviço. Neste caso, poderá redirecionar este potencial cliente utilizando informação adicional acerca dos vários recursos que está a oferecer. Um deles poderá despertar a atenção e encorajá-lo a revisitar o seu site e a levar de forma mais séria a sua oferta!

 

  1. Oportunidades de cross selling: Muitas empresas de tecnologia vendem mais do que um tipo de software, que por norma são mutualmente complementares. Como tal, após uma conversação inicial com um cliente sobre um produto, poderá então redirecionar para o mesmo cliente anúncios com outros dos seus produtos ou até mesmo encorajá-lo a adquirir atualizações de produto.

 

  1. O retargeting cria outro ponto de contato:Muitos de nós já ouviram dizer que a conversão de uma lead precisa de cerca de 7 ou mais pontos de contato, certo? Como tal, se o seu potencial cliente já tiver sido contatado através de correio postal, se tiver um dos seus cartões-de-visita, se recebeu uma chamada sua e se já foi contatado por email anteriormente, então o retargeting de anúncios oferece outro ponto de contato com a sua marca, ou vários outros pontos, dependendo de como estrutura a sua campanha. Todos estes pontos de contato, em conjunto, servem para melhorar a recordação, a familiaridade e a confiança da marca.

 

  1. Selecionando a sua plateia: Caso utilize o Adwords, saberá que a publicidade em display não permite selecionar quem vê os seus anúncios, com o retargeting isso já não acontece, o grau de controlo aumenta exponencialmente. Neste caso, a sua campanha está definida apenas para alcançar aqueles que visualizaram uma página ou várias do seu website. Estas pessoas serão depois alcançadas somente com mensagens bastante específicas que as dirigem de novo para a(s) página(s) que visitaram.

 

  1. Segmentando e atualizando os seus clientes/consumidores: Se tem os endereços de email de clientes atuais ou antigos, que se incluem num certo critério por si definido, pode alcançá-los com anúncios (e, claro, com uma campanha de email), encorajando-os a tomar uma ação específica.

 

 

Existem muitas vantagens óbvias no retargeting , mas esta jamais deverá ser uma tática usada de forma isolada. Esta tecnologia quando combinada com outras táticas operacionais irá dar um impulso incrível à sua marca e repectivas taxas de conversão!

Clique no ícone para partilhar com os seus amigosShare on Facebook
Facebook

, , ,

By  
Entusiasta e apaixonado pelo mundo da estratégia digital. Consultor em várias empresas, com experiências académicas e profissionais em vários países. Dedica a vida a ensinar e aprender como se maximiza a presença online de pequenas e médias empresas, num contexto cada vez mais complexo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.